sexta-feira, 12 de novembro de 2010

UM DIÁRIO

Eu posso não ser a mais rica, a mais bonita, a mais fashion das turmas e lugares que frequento. Também não sou a mais gente boa, fina, daquele tipo que quer agradar sempre, ser sempre simpática e sorridente.
Sou de hábitos simples, que tenta os hábitos mais saudáveis, pelo menos, e que curte os prazeres sutis que a vida está sempre me proporcionando. Pois uma coisa eu posso dizer com convicção: A vida sempre foi muito generosa comigo.
Mas a vida às vezes também é cruel. Minto. As pessoas. Minto. Algumas pessoas.
Algumas pessoas são realmente muito cruéis. Conhecem o seu ponto fraco e não hesitam nem por um segundo em atingí-lo. Lembrar que ele existe, sim! Sabendo que isso irá causar muita dor, ainda assim não recuam.
Uma pena, mas essas pessoas existem.
Quando sou vítima desses sub-humanos, vampiros, respiro fundo e ponho mais fé ainda na boa humanidade e numa força maior que é o bem que eu pratico e acredito. Tento me inundar de boas vibrações que pessoas do bem e que bem me querem transmitem a todo momento. Isso enche a minha vida. Me conforta e alimenta. Alivia a dor. E me faz acreditar, dia após dia, que todo o bem que eu pratico retornará em dobro. E as pessoas que me querem bem são as que ficarão comigo até o fim. Muita sorte a elas!